"A tolerância é um exercício e uma conquista sobre si próprio", escreveu o ensaísta tunisino Albert Memmi, que faleceu este ano. O que as suas palavras nos ensinam é que a tolerância, longe de ser uma atitude passiva de complacência ou indiferença, é um trabalho dinâmico e quotidiano, tanto individual como coletivo.

É esta educação para a diversidade, esta aprendizagem permanente da abertura, que celebramos hoje, neste Dia Internacional da Tolerância.

Numa altura em que a pandemia exacerbou as fraturas que dividem e desfiguram as nossas sociedades, numa altura em que, por vezes, foi capaz de despertar o racismo, o fanatismo e o extremismo, é mais necessário do que nunca reafirmar os valores fundadores da nossa humanidade. Estes valores de dignidade, justiça, curiosidade e diversidade são, de facto, os valores de tolerância que a UNESCO defende em princípio e em ação.

Desde a sua criação, a nossa Organização tem assim trabalhado em todos os domínios do seu mandato - educação, cultura, ciência e informação - para combater a infâmia e o ódio.

Através de programas de educação para a cidadania global, através da defesa e da promoção da diversidade cultural e linguística, através do seu compromisso com a ética da ciência e inteligência artificial, a UNESCO está assim empenhada em promover esta cultura de paz que se baseia necessariamente na tolerância. É também o cerne do nosso trabalho com a Coligação Internacional de Cidades Inclusivas e Sustentáveis, que mobiliza parceiros e atores locais para lutar contra o racismo nas suas raízes.

É também neste espírito que, todos os anos, a nossa Organização atribui o Prémio UNESCO-Madanjeet Singh para a Promoção da Tolerância e da Não-Violência, para premiar iniciativas significativas em prol da compreensão mútua entre culturas e povos.

Porque a educação para a tolerância passa, de facto, pela educação para a diversidade, a descentralização e a descoberta dos outros e da sua cultura. Como lemos na Declaração de Princípios sobre a Tolerância, ratificada pelos Estados Membros da UNESCO a 16 de novembro de 1995, "a tolerância é harmonia na diferença".

Neste Dia Internacional, a UNESCO gostaria de fazer um apelo a todas e a todos para celebrarem a diversidade e o direito irredutível à diferença, que constituem a base da riqueza das nossas sociedades e inculcam a paz na mente das pessoas.

  • Partilhe