joao serra

O Presidente da Comissão Nacional da UNESCO, bem como a equipa desta Comissão,  manifestam o seu pesar pelo falecimento do Professor Doutor João Bonifácio Serra e apresentam as suas condolências à sua Família e à Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha.

O Professor Doutor João Serra colaborou ativamente com a Comissão Nacional da UNESCO até muito recentemente, nomeadamente na sua qualidade de Titular da Cátedra UNESCO Gestão das Artes e da Cultura, Cidades e Criatividade, oferecendo-nos contributos de excelência em prol de uma cidadania participativa e da concretização dos objetivos da UNESCO em Portugal.

 

Nota Biográfica:

Historiador e Professor, João Bonifácio Serra (1949-2023) foi uma figura incontornável das artes, cultura e política nacionais. Era atualmente investigador integrado do LIDA, membro da respetiva comissão coordenadora e titular da Cátedra em “Gestão das Artes e da Cultura, Cidades e Criatividade” atribuída pela UNESCO em 2018 à Escola de Artes e Design das Caldas da Rainha e renovada em 2023. Professor Coordenador Jubilado do Politécnico de Leiria, foi membro da comissão instaladora da ESAD.CR, docente nas áreas de História, Património e Cultura e coordenador dos cursos de licenciatura em Animação Cultural e mestrado em Gestão Cultural. Foi também Professor no ISCTE, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e na Universidade Nova de Lisboa.

Presidiu à organização de Guimarães Capital Europeia da Cultura, em 2012, onde também desempenhou funções de programador. Foi comissário do Programa Caldas Cidade Cerâmica – Molda entre 2015 e 2019, que conduziu à atribuição a Caldas da Rainha do título de cidade criativa pela UNESCO, promotor da candidatura de Alcobaça a Cidade Criativa da Gastronomia da UNESCO e coordenador do Conselho Estratégico da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027.

Comissário de diversas exposições, nomeadamente “José Relvas: conspirador contemplativo”, na Assembleia da República. Participou e dirigiu projetos de investigação e publicou estudos sobre temas de história e património. Entre os mais recentes figuram o projeto “Cerâmica, Património e Produto Sustentável – do ensino à indústria” apoiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e os estudos “Artista à Procura da sua História: Luís Ferreira da Silva (1928-2016)”, “Sudários de vidro. Desenho e pintura de Tereza Arriaga sobre os Vidreiros da Marinha Grande”, para o Museu do Neorrealismo, sob coordenação de Raquel Henriques da Silva. Para próxima edição, tem “O Parlamento na República (1910-1926)”, em colaboração com Luís Bigotte Chorão, obra patrocinada pela Assembleia da República, e “As Gárgulas da Torre do Tombo”, que resulta de um projeto de investigação apoiado pelo LIDA. Coordenou a elaboração do Programa Preliminar para o Novo Museu de Cerâmica das Caldas da Rainha a solicitação da Câmara Municipal. Foi coordenador científico e cultural da Casa dos Patudos – Museu de Alpiarça, membro da Comissão de Conteúdos do Museu Nacional da Resistência e Liberdade de Peniche e integrou a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República.

Foi assessor e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, entre 1997 e 2006. Recebeu diversas condecorações atribuídas pelo desempenho de funções no âmbito das relações do Estado português com outros Estados (Luxemburgo, Itália, Grécia, França, Finlândia, Noruega, Tunísia, Argélia, Marrocos, Turquia, Canadá). Em Portugal exerceu as funções de vogal do Conselho das Ordens Nacionais e foi agraciado com a Grande-Oficial da Ordem da Liberdade e a Grã-Cruz da Ordem de Cristo (2005) e medalhas de ouro das cidades de Caldas da Rainha (2000), Guimarães (2013) e Leiria (2022). Co-coordenou, com Jorge Simões, José Gameiro e José Pedro Castanheira, Era uma vez Jorge Sampaio – Histórias e Imagens (Lisboa, 2021).

  • Partilhe