No ano em que se celebram os 20 anos de classificação do Centro Histórico de Guimarães como Património Mundial, o Município apresentou a primeira proposta para o Plano de Gestão do Centro Histórico de Guimarães e Zona de Couros, que deu a conhecer na passada segunda-feira. Durante o mês de maio, o Plano está sob consulta pública. Esta fase é especialmente relevante na medida em que procura envolver a comunidade — local, mas não só — reforçando o conhecimento sobre o Bem e, sobre ele, refletir sobre o modo de o proteger, usar e valorizar.

Com um arco temporal definido, 2021—2026, o Plano de Gestão aponta sentidos e estratégias para o futuro e integra um plano de ação que explicita 90 ações e conjuntos de ações a implementar a curto, médio e longo prazo. Sabe-se que o Centro Histórico de Guimarães, inscrito em 2001 na Lista do Património Mundial, é diferente do Centro Histórico de Guimarães da década de 80, quando se iniciou o processo, em curso, de recuperação do centro da cidade. Sabe-se que este património urbano é dinâmico e é certo que daqui a 20 anos estará diferente. A questão é: que Cidade, que Património, ou que Centro Histórico de Guimarães e Zona de Couros, queremos ter daqui a 20 anos?

Reconhecer que estes processos não são estáticos, nem estão garantidos pelo facto de serem reconhecidos nacional e internacionalmente pelo seu Valor Universal Excecional; é um passo determinante para que todos, sem exceção, sejam envolvidos e comprometidos na defesa, na salvaguarda e na valorização, permanente, do Bem Património Mundial. Esse é o principal desígnio do Plano de Gestão, para o qual o Município de Guimarães convoca todos os interessados. 

O Plano pode ser consultado aqui.

Mais informações clique aqui.

Criticas, sugestões e comentários devem ser enviados para: chcouros@cm-guimaraes.pt

  • Partilhe