cidades criativas

 

REGULAMENTO DE ADESÃO À REDE DAS CIDADES CRIATIVAS UNESCO – 2021

Atendendo aos termos do regulamento de candidatura à Rede das Cidades Criativas da UNESCO para 2021, apenas serão elegíveis duas candidaturas por Estado-Parte em dois campos criativos diferentes. Deste modo a Comissão Nacional da UNESCO aplicará previamente os seguintes critérios de seleção:

Condição de base: apresentação da proposta digital devidamente preenchida e enviada à CNU para apreciação, até 15 de junho de 2021.

Critérios de seleção:

  • Apoio preferencial à apresentação de propostas em novas áreas criativas de que ainda não exista registo no país;
  • Apoio a candidaturas que promovam a disseminação territorial da UNESCO no país, preferindo-se cidades que ainda não tenham qualquer chancela UNESCO na área da Cultura;
  • Em caso de empate será considerada a candidatura final que tenha sido recebida em primeiro lugar.

Para mais informação consulte o regulamento de adesão à Rede das Cidades Criativas UNESCO ou em https://en.unesco.org/creative-cities/sites/default/files/2021-uccn_application-guidelines__0.pdf.

 

Resultado da avaliação nacional das propostas apresentadas à edição de 2021 de adesão à Rede de Cidades Criativas da UNESCO


A Comissão Nacional da UNESCO informa que, aplicados os critérios de seleção às propostas apresentadas, atribuiu o seu apoio às candidaturas das seguintes cidades:

Covilhã, proposta de adesão na área do Design

Santa Maria da Feira, proposta de adesão na área da Gastronomia 

 

Cidades Portuguesas na Rede de Cidades Criativas da UNESCO:

Idanha-a-Nova, Cidade Criativa da Música (2015)

http://cityofmusic.cm-idanhanova.pt

Câmara Municipal

A adesão de Idanha-a-Nova à Rede UNESCO de Cidades Criativas no domínio da música visa várias finalidades, designadamente destacar os ativos culturais numa plataforma global; tornar a criatividade um elemento essencial do desenvolvimento económico e social local; reforçar a capacidade local e dar formação a agentes culturais locais na área dos negócios; partilhar conhecimento entre grupos culturais em todo o mundo; cultivar a inovação através da troca de know-how, experiências e melhores práticas; promover diversos produtos culturais no mercado nacional e internacional; criar novas oportunidades de cooperação e parceria com outras cidades.

Considerando o registo da música antiga como um elemento estrutural nas suas linhas de programação anuais e plurianuais desde 2001,  importa realçar no Município de Idanha-a-Nova os diversos grupos de música tradicional espalhados pelas freguesias do concelho, a maioria ligados ao instrumento adufe,  a Filarmónica Idanhense,  o agrupamento profissional Concerto Ibérico Orquestra Barroca (CIOB), os cursos internacionais de música antiga (CIMA),  festividades da Semana Santa, o festival anual Fora do Lugar e o  Boom Festival.

Óbidos, Cidade Criativa da Literatura (2015)

http://obidosvilaliteraria.com/

Câmara Municipal

A adesão de Óbidos à Rede de Cidades Criativas, assente, entre outros fatores, no projeto Vila Literária, a ser desenvolvido desde 2011 numa parceria entre a autarquia e a LerDevagar. Óbidos Vila Literária é um projeto literário e artístico único no contexto das manifestações artísticas e culturais que se realizam em Portugal, cuja  qualidade tem o reconhecimento da comunidade local, regional, nacional e internacional, tanto do público, como dos seus pares a nível local e mundial: Rede UNESCO das Cidades Criativas, IOB-International Organisation of Booktowns, Festivais Literários Internacionais.


A Vila Literária de Óbidos foi construída no pressuposto de que haveria uma Rede de Livrarias dotadas de espaços específicos para organização de exposições de artes, de concertos, de conferências, de performances. Para além dos espaços do livro, a Vila Literária dispõe de um conjunto de espaços municipais: museus, galerias e residências artísticas e literárias que lhe permitem completar a oferta e satisfazer as solicitações de escritores, autores, artistas que procuram Óbidos como local de desenvolvimento de projetos ou como local da sua apresentação. As atividades de Óbidos Vila Literária são contínuas ao longo do ano, com manifestações de maior relevo nos festivais e encontros literários e artísticos, nomeadamente no FOLIO – Festival Literário Internacional (nas suas diversas e artisticamente abrangentes componentes: Autores, Ilustra, Educa, Folia, e Paralelo) e no Latitudes – Literatura e Viagens.

Amarante, Cidade Criativa da Música (2017)

https://cityofmusicamarante.com/

Câmara Municipal

Amarante assume a cultura e a criatividade como vetores fundamentais para o desenvolvimento urbano sustentável e inclusivo. A cidade tem em curso projetos e dinâmicas de qualificação e regeneração ambiental e urbana, de atratividade económica, de talento e criatividade e de promoção de lógicas de governação horizontais e partilhadas. Existe igualmente uma aposta concertada no estabelecimento de redes e projetos de cooperação internacional, estimulando a partilha de conhecimentos e boas-práticas.

A adesão de Amarante à Rede de Cidades Criativas da UNESCO insere-se nesta estratégia da cidade, procurando através da criatividade e da música em particular consolidar a sua política de desenvolvimento sustentável.

Barcelos, Cidade Criativa do Artesanato e das Artes Populares (2017)

http://cidadecriativa.barcelos.pt/

Câmara Municipal

Barcelos é um território que se evidencia pela atividade artesanal distribuída por diversas produções como a olaria, o figurado, a cerâmica tradicional, os bordados, dentre os quais se destaca o de crivo, e a tecelagem, a madeira, o ferro e latoaria e ainda outras artes como o trabalho em couro e artesanato contemporâneo. Em termos brutos, são muitas dezenas de artistas e criadores em exercício distribuídos pelas várias produções artesanais, com preponderância natural para a olaria e figurado, que fazem deste território um verdadeiro Museu Vivo da arte popular portuguesa e um fator de identidade de Barcelos e do nosso país no Mundo.

O artesanato como parte integrante da cultura barcelense é uma forma de expressão inspirada nos mais variados temas, necessidades, formas do quotidiano e espelho de um sentido criativo ímpar de uma comunidade artesanal muito forte que faz deste concelho – Capital do Artesanato e que sustenta todo um setor criativo que é transversal aos setores académico, profissional e associativo.

Braga, Cidade Criativa das Artes Digitais (2017)

http://www.bragamediaarts.com/pt/

Câmara Municipal

Desde o início de 2018 que Braga ostenta o título de Cidade Criativa UNESCO no domínio das Media Arts, resultado de um esforço concertado entre vários sectores que refletem a sua realidade atual enquanto cidade tecnológica. Fruto de uma candidatura que pretendeu destacar as várias atividades decorrentes do seu desenvolvimento urbano, Braga concentra em si vários polos de criatividade que entrelaçam arte, ciência, educação, tecnologia e investigação num plano local e cooperativo. Um dinamismo contagiante que vem definindo a identidade internacional de uma cidade milenar que, desde a sua fundação, tem estado na vanguarda dos diferentes períodos da sua história.

O trabalho desenvolvido por Braga estende-se dentro de uma vasta rede de trabalho que reforça as relações entre cientistas e artistas, empresas e academias, agentes políticos e sociedade civil, ao abrigo de um futuro que se constrói todos os dias. Braga junta-se, assim, a uma rede de cidades a nível global na linha da frente para promover a inovação e a criatividade como fatores-chave de um desenvolvimento urbano mais sustentável e inclusivo.

Caldas da Rainha,Cidade Criativa do Artesanato e Artes Populares (2019)

Câmara Municipal

Caldas da Rainha é conhecida pelos seus produtos cerâmicos centenários que fazem parte da cultura e da identidade da cidade.  A indústria cerâmica remonta ao final do século XV, aproveitando os oleiros a qualidade das argilas locais para produzir artigos utilitários destinados à população e ao hospital. Já no século XIX, um dos artistas mais conhecidos, Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905), tornou-se famoso pelas suas ilustrações, caricaturas, esculturas e cerâmica. Atualmente, os antigos motivos naturalistas, figurativos e satíricos coexistem com o design contemporâneo e podem ser observados por toda a cidade, nos edifícios, lojas e museus.  Em 2018 foi criada nas Caldas da Rainha, na Escola Superior de Artes e Design do Instituto Politécnico de Leiria, a Cátedra Unesco de Artes e Gestão Cultural, Cidades e Criatividade, com o objetivo de promover um sistema integrado de investigação, formação, informação e documentação sobre as artes visuais, a gestão da arte e da criatividade, contribuindo assim para reforçar os setores criativos ligados ao artesanato e às artes populares.

Leiria, Cidade Criativa da Música(2019)

https://www.visiteleiria.pt/

Câmara Municipal

Situada na Região Central de Portugal, Leiria é a capital do Distrito.Musicalmente, Leiria aparece no panorama nacional e internacional na vanguarda de projetos sociais e artísticos que trabalham a equidade social, a dignidade humana e a inclusão.Aqui cresceram músicos, bailarinos, escritores e artistas de renome internacional; aqui começaram os projetos mais emblemáticos da relação entre música e a dignidade humana: ÓPERA NA PRISÃO, AQUI CONTIGO ou CONCERTOS PARA BEBÉS, já replicados em todo o mundo.

Com um invejável património natural e arquitetónico, a cidade conseguiu se reinventar para criar verdadeiro espaço público, onde a cultura é vivida diariamente através de eventos como A PORTA, ENTREMURALHAS, MÚSICA EM LEIRIA ou pelas bandas pop e rock, as bandas filarmónicas centenárias, os coros e os grupos folclóricos.Leiria oferece-se em forma de música.

Covilhã, Cidade Criativa do Design (2021)

https://covilhacriativa.com/ 

Com uma privilegiada inserção natural e paisagística, em parte englobada no Estrela Geopark da UNESCO, a Covilhã conta com 3 museus (Arte Sacra, da Covilhã e Lanifícios, este último polinucleado) e três galerias de arte (Tinturaria, António Lopes e Centro de Inovação Cultural). A cidade convida a percorrer as rotas de Arte Urbana, Arte Nova, Descobrir a Covilhã, Judiarias, Património Industrial e a Rota da Lã, tendo crescido o turismo religioso. O New Hand Lab vocaciona-se para o turismo industrial e criativo, sendo uma referência no campo artístico e do Design. Enquanto Cidade Criativa em Design, irá promover a cultura e a criatividade como valores ecossistémicos fundamentais para o desenvolvimento da Cidade e da Região através da salvaguarda do património e dos saberes-fazer tradicionais, valorizando os produtos endógenos, designadamente os relacionados com os têxteis.

 

Santa Maria da Feira, Cidade Criativa da Gastronomia (2021)
Câmara Municipal

A Gastronomia desempenha um papel relevante na atratividade de Santa Maria da Feira, sendo uma das componentes essenciais e mais valorizadas da sua oferta turística, destacando-se não apenas a doçaria com a Fogaça, os Caladinhos, ou os Doces dos Coimbra, mas também uma gastronomia diversificada e de grande qualidade, com recurso a produtos endógenos. Com um formato arredondado, e quatro bicos que representam os quatro coruchéus da torre de menagem do Castelo, a Fogaça da Feira, ícone da doçaria regional, é produzida diariamente em várias casas de fabrico do Concelho e distingue-se por tradicionais aprestos, quer no preparo, quer na forma como vai ao forno. Santa Maria da Feira oferece ainda por todo o Concelho, mas especialmente no centro histórico da cidade, uma grande oferta e diversidade de restaurantes de qualidade, desde os mais tradicionais aos mais exclusivos, em que a criatividade é omnipresente, quer a nível da produção ou recriação das receitas, da apresentação dos pratos ou da própria gestão dos espaços ou qualidade do atendimento.

 

 

 

 

 

 

 

Saiba mais sobre a Rede de Cidades Criativas da UNESCO em https://en.unesco.org/creative-cities/home

  • Partilhe