Futuros da Educação

futures of education

Aprender a Tornar-se.  Esta iniciativa foi lançada pela UNESCO em 2019 e baseia-se num processo consultivo e amplo e aberto que envolve jovens, educadores, sociedade civil, governos, empresas e outras partes interessadas. Uma iniciativa de cariz global, para repensar que o conhecimento e a aprendizagem podem moldar o futuro da humanidade e do planeta – repensar a educação, moldar o futuro. Em novembro de 2021, a Comissão Interministerial eu coordena esta iniciativa, publicará um relatório destinado a partilhar uma visão prospetiva do que a educação e a aprendizagem ainda podem vir a ser, e oferecer uma agenda politica. A iniciativa catalisará um debate global sobre como o conhecimento e a aprendizagem podem moldar o futuro da humanidade e do planeta. A rede das escolas associadas da UNESCO foi especialmente chamada a participar nesta iniciativa e a contribuir para esta reflexão global.

Para mais informação https://en.unesco.org/futuresofeducation/

 

Educação sobre o Holocausto e a prevenção de genocídios

holocausto

A Comissão Nacional da UNESCO promoveu a tradução e a divulgação dos materiais editados pela UNESCO “Educação sobre o Holocausto e a prevenção do genocídio” e “Porquê educar sobre o Holocausto?”. O lançamento destes materiais teve lugar na Escola Secundária da Quinta do Marquês, em Oeiras, em 2019.

 

Celebração da Década Internacional para a Aproximação das Culturas 2013-2022

Culturas

Em 23 de agosto de 2013, a Diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, o presidente da Comissão Nacional do Cazaquistão para a UNESCO e a ISESCO (Organização Islâmica para a Educação, a Ciência e a Cultura), Imangali Tasmagambetov, e o ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão, Erlan Idrissov, lançaram oficialmente a Década Internacional para a Aproximação das Culturas. A proclamação de uma Década Internacional para a Aproximação das Culturas (2013-2022), para a qual a UNESCO foi designada agência líder do Sistema das Nações Unidas, foi adotada pela Resolução 36C/40 da Conferência Geral da UNESCO, em novembro de 2011, seguida pela Resolução 67/104 da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Dezembro de 2012.

 

Manual para professores "Património para a Paz e a Reconciliação - Salvaguardar o Património Cultural Subaquático da Primeira Guerra Mundial"  - versão em português 

manualsite

 

Kit Educativo “O Património Mundial nas Mãos dos Jovens”

mao dos jovens

O Kit pedagógico destina-se a auxiliar os professores e formadores na missão de salvaguardar o património, tomando como ponto de partida e exemplo a Convenção para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural, e os bens inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO. Poderá também ser utilizado pelos gestores dos bens, responsáveis locais e nacionais, operadores Turísticos ou quaisquer outras pessoas interessadas em saber mais sobre a Convenção para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural. 

 

Kit Educativo “O Património Cultural Subaquático”

Subaquático

Este projeto tem como principal objetivo, sensibilizar para o significado de preservar o PCS e estimular atividades que fomentem a participação ativa e cívica na vida comunitária.

“A Educação é uma prioridade, e a presente publicação deve ajudar em fornecê-la. Esta, é uma ferramenta educativa muito útil, destinada aos educadores, aos pais e aos jovens. O objetivo é difundir o conhecimento sobre o património cultural subaquático e de promover a sua proteção e valorização. A UNESCO espera que, uma vez introduzida nas escolas e nos programas educativos, orientará os professores no sentido de incentivar os jovens a se familiarizarem com uma das mais preciosas, insubstituíveis e frágeis partes do nosso legado, o património cultural subaquático”.

 

Projeto Educativo no âmbito da Rota Transatlântica do Escravo: “Quebrar o

silêncio”

silencio

A Conferência Geral da UNESCO, aprovou em 1993, o lançamento do projeto que foi oficializado em 1994, em Oudah, no Benin.

É um projeto intersectorial e transdisciplinar da UNESCO, o qual está ligado a todos os domínios de competência da Organização.

O setor da educação da UNESCO através da Unidade de coordenação da rede das Escolas associadas, é responsável pelo programa, em relação com a divisão do diálogo intercultural.

Trata-se de promover as atividades culturais, artísticas e as manifestações espirituais nascidas nas interações do comércio negreiro nas Américas e no Caribe e as tradições africanas, ou seja, o patrimônio comum e material dos povos africanos, ameríndios e europeus que o comércio negreiro levou à existência de sociedades plurais. Quebrar o silêncio sobre a tragédia do tráfico de escravos e contribuir, através da realização de trabalhos científicos multidisciplinares, para uma melhor compreensão dessa tragédia, suas causas profundas, suas problemáticas e suas modalidades de operação. Contribuir com a cultura da paz e a coexistência pacífica dos povos, promovendo a reflexão sobre o pluralismo cultural, a construção de novas identidades e cidadanias e o diálogo intercultural.

 

Projeto Sandwatch - Adaptar-se à mudança climática e educar para o desenvolvimento sustentável

O Sandwatch propõe um método para que crianças, jovens e adultos, com a ajuda dos professores e da comunidade local, possam trabalhar juntos com vista a uma avaliação crítica dos problemas e conflitos com os quais o ambiente das suas praias é confrontado e ao desenvolvimento de soluções sustentáveis a fim de remediar tais questões. Ele também ajuda as praias a serem mais resilientes à mudança climática.

O Sandwatch é um programa que permite a crianças, jovens e adultos trabalharem em conjunto na observação científica e na avaliação crítica dos problemas e conflitos com os quais as suas praias e áreas costeiras são confrontadas, além de propor a conceção e a implementação de atividades e projetos que abordem algumas dessas questões, ao mesmo tempo que reforça o ambiente das praias e torna o ecossistema mais resiliente à mudança climática.

Objetivos

Com o Sandwatch, crianças, jovens e adultos têm a possibilidade de atuar nas suas comunidades e envolver-se no melhoramento e na gestão inteligente das áreas litorâneas.

Os objetivos do Sandwatch são:

- fazer com que crianças, jovens e adultos realizem observações, medidas e análises científicas das alterações dos ambientes das praias com uma abordagem interdisciplinar;

- auxiliar os grupos Sandwatch, juntamente com as comunidades, a utilizarem os seus dados e conhecimentos a fim de melhorarem e gerirem as praias de modo inteligente;

- integrar a abordagem Sandwatch nos sistemas educativos formais e informais e cooperar com a Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável;

- ajudar a compreender como a mudança climática interfere nos sistemas das praias;

- reforçar a resiliência dos ecossistemas e contribuir para a adaptação à mudança climática.

 

Metodologia

A metodologia Sandwatch baseia-se em boas práticas científicas e consiste em quatro etapas principais: observação, análise, intercâmbio e ação (MAIA):

Seleção de uma praia específica para observação, preparação de um mapa esquemático e medições regulares de vários parâmetros, tais como:

- a maneira como a população utiliza a praia;

-  lixo na praia;

- qualidade da água;

- erosão e acreção;

- composição da praia;

- ondas;

- correntes litorâneas;

- flora e fauna.

Análise dos resultados

Compilação de informações em tabelas, gráficos e diagramas; verificação de tendências de como um determinado parâmetro evolui com o passar do tempo; tarefas estas que incluem:

- compilação de tabelas de dados;

- gráficos e diagramas para a apresentação de dados;

- conceção de peças de arte e modelos para a ilustração dos resultados; e

- análises estatísticas simples (conforme o caso e em função da experiência do grupo).

Intercâmbio de resultados

Divulgação dos resultados no contexto local – para outras salas de aula, escolas, grupos de jovens, pais, membros da comunidade e autoridades, bem como para outros grupos Sandwatch ao redor do mundo – por intermédio de:

- reuniões e apresentações;

- narração de histórias e encenações;

- publicações, tais como boletins informativos, prospetos, folhetos, histórias, desenhos;

- meios de comunicação visual: cartazes, fotografias, vídeos;

- formação de redes na internet;

- sites.

Ação

Planeamento, implementação e avaliação de uma atividade relacionada com a praia que dê conta de ao menos uma das seguintes tarefas:

- abordagem de um problema específico relacionado com a praia;

- melhoria da praia;

- promoção da adaptação à mudança climática.

Mais informações AQUI

  • Partilhe