Face ao risco crescente de perda de informação preciosa que determina o património mundial em termos de conhecimento, de identidade, de história e de valores humanos, a UNESCO envida esforços no sentido de sensibilizar os governos, as instituições competentes e o público em geral para a importância de preservação da informação para as gerações atuais e futuras. O património documental representa a memória da humanidade mas é ameaçado e corre o risco de desaparecer para sempre.

A necessidade mais urgente prende-se com a preservação do património documental que tem uma importância mundial. Também é importante tornar esse património acessível ao maior número de pessoas através da utilização das tecnologias mais apropriadas. Este é o motivo pelo qual a UNESCO toma as medidas necessárias para conservar o património documental e audiovisual através do Programa Memória do Mundo. Segundo a visão da UNESCO, o património documental mundial pertence a Todos. Deveria ser inteiramente preservado e protegido, e constantemente acessível a todos, sem qualquer obstáculo.

A preservação, o acesso e a distribuição da informação depende da estabilidade dos documentos e do grau de consulta do seu conteúdo. Paradoxalmente, os desenvolvimentos técnicos podem tornar os documentos mais instáveis e reduzir o seu tempo de vida útil. De facto, enquanto as tábuas de argila podem ser conservadas vários milhares de anos, os documentos audiovisuais apenas podem ser conservados durante algumas décadas e o tempo de vida de patrimónios digitais não ultrapassará dez anos.

Sensibilizar o público para a necessidade de conservar o património documental digital levou à adoção da Carta da UNESCO sobre a conservação do património digital e da Declaração de Vancouver UNESCO/UBC cujas medidas devem ser adotadas pela UNESCO, os seus Estados membros, as associações profissionais e a indústria.


Programa Memória do Mundo

memoriamundo

©UNESCO

O Programa Memória do Mundo foi criado pela UNESCO em 1992 e constitui um quadro de referência internacional no que se refere à preservação do património documental.

A necessidade da criação deste programa nasceu da tomada de consciência crescente do estado preocupante de conservação do património documental e da precariedade do seu acesso em diferentes regiões do mundo.

Em 1993 foi criado um Comité Consultivo Internacional que produziu um plano de ação no qual se preconizou que a UNESCO desempenhasse um papel de coordenador e catalisador sensibilizando os Governos, Organizações e Fundações internacionais e fomentando a formação de parcerias para possibilitar a execução de projetos nesta área.

- Fundamentos e natureza do Programa Memória do Mundo

Este Programa assenta no princípio de que certos documentos, coleções ou fundos do património documental pertencem ao Património comum da humanidade do mesmo modo que os sítios que se revestem de um interesse universal excecional são inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO. Estes documentos, coleções ou fundos são, portanto, considerados como detentores de um valor que transcende as fronteiras entre as épocas e as culturas devendo, assim, ser conservados para benefício das gerações presentes e futuras.

O Programa Memória do Mundo enquadra uma variedade de conhecimentos e de disciplinas sintetizando os pontos de vista profissionais de arquivistas, bibliotecários e museólogos, entre outros, integrando as perspetivas das suas instituições, associações e depositários.

O Programa é alargado a domínios do conhecimento menos formais e tradicionais e abrange o conjunto da história documentada: dos rolos de papiro e tábuas de argila aos filmes, registos sonoros e ficheiros digitais, todos são objeto de uma mesma atenção.

As atividades deste Programa são realizadas no quadro de outros dispositivos, movimentos e atividades, nomeadamente de Programas, Recomendações e Convenções da UNESCO.

O Registo da Memória do Mundo constitui um aspeto do Programa mais conhecido do público e foi fundado a partir do estabelecimento das Orientações do Programa (1995).

Entre os bens inscritos podemos mencionar o documento original da Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão (1789-1791), a 9ª Sinfonia de Beethoven, a Colecção fotográfica do Imperador D. Pedro II do Brasil, o Arquivo de Astrid Lindgren e a Carta de Pêro Vaz de Caminha, primeiro bem português inscrito aquando da reunião do Comité Consultivo Internacional (IAC) em 2005.

Principais objetivos deste Programa :

- Facilitar a conservação do património documental mundial através de:

• uma ajuda prática direta

• difusão de diretivas e de informação

• sensibilização para a formação

- Ajudar a assegurar um acesso universal ao património documental:

• encorajando a produção de cópias digitalizadas e de catálogos disponíveis na Internet

• publicando e difundindo livros, CD, DVD e outros produtos da forma mais alargada possível.

- Contribuir para uma tomada de consciência geral da existência e do interesse do património documental :

• através da elaboração dos registos da Memória do Mundo

• da intervenção dos media

• da publicação de materiais de promoção e de informação

Saber mais...


BENS PORTUGUESES INSCRITOS NO
REGISTO DA MEMÓRIA DO MUNDO

2023

  • Relato da 1.ª viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães e Juan Sebastian Elcano (1519-1522) integra Registo Internacional da Memória do Mundo da UNESCO

 

2017

Arquivo Nacional Torre do Tombo, Arquivo Histórico de Macau

 

Instituto Diplomático – Arquivo Diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros   

 

  • O Codex Calixtinus da Catedral de Santiago de Compostela e outras cópias medievais do Liber Sancti Iacobi: As origens ibéricas da tradição Jacobeia na Europa 

Biblioteca Nacional de Portugal, Direção-Geral das Belas Artes, Património Cultural, Arquivos e Bibliotecas de Espanha   

 

2015

Arquivo Nacional Torre do TomboBiblioteca Nacional de Portugal e Arquivos de Espanha

 

2013

Biblioteca Pública Municipal do Porto

 

2011

Arquivo Histórico da Marinha e Biblioteca Central

 

  • Arquivos dos Dembos, candidatura conjunta entre o Arquivo Histórico Ultramarino português e Angola

Arquivo Histórico Ultramarino e Arquivo Nacional de Angola

 

2007

Arquivo Nacional Torre do Tombo

 

Arquivo Nacional Torre do Tombo

 

2005

Arquivo Nacional Torre do Tombo


 Comité Nacional do Programa da Memória do Mundo da UNESCO

O comité português é presidido pelo Diretor da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), e integra os representantes dos seguintes organismos:

  1. Um representante do Instituto Diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros;
  2. Um representante da Comissão Nacional da UNESCO;
  3. Um representante da Biblioteca Central da Marinha;
  4. Um representante da Biblioteca do Exército;
  5. Um representante da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas;
  6. Um representante da Biblioteca Nacional de Portugal;
  7. Um representante da Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, I. P..

pdf icon site Decreto Regulamentar

  • Partilhe