O número de crianças, jovens e adultos que deixam de frequentar a escola ou a universidade devido à COVID-19 está a disparar. Governos de todo o mundo anunciaram ou implementaram medidas para encerrar estabelecimentos de ensino, numa tentativa de conter a pandemia

De acordo com o acompanhamento realizado pela UNESCO, mais de 160 países encerraram estabelecimentos de ensino em todo o mundo, afetando mais de 87% da população estudantil mundial. Vários países procederam a encerramentos localizados. Se estes, por sua vez, decidirem fechar todas as escolas, outros milhões de alunos sofrerão perturbações na sua educação.

A UNESCO fornece um apoio imediato aos países que trabalham para minimizar as interrupções educativas e facilitar a continuidade da aprendizagem, em especial para os mais vulneráveis.

unesco suport education covid 19

Apoio da UNESCO: resposta da educação à COVID-19

No contexto do encerramento em grande escala dos estabelecimentoGolfis de ensino com vista a reduzir a propagação da COVID-19, a UNESCO coopera com os ministérios da educação dos países afetados de forma a assegurar a continuidade do ensino para todas as crianças e todos os jovens através de outros canais.

O apoio da UNESCO inclui:

-------

A UNESCO mobiliza os Ministros da Educação em resposta à emergência da COVID-19, no momento em que um em cada cinco alunos está sem aulas

unesco medidas educacao distancia reuniao

Em resposta ao número crescente de encerramentos de escolas e universidades para conter a propagação da COVID-19, a UNESCO convocou uma videoconferência global que reuniu altos funcionários da educação tanto para intensificar a resposta urgente necessária como para partilhar estratégias no sentido de minimizar a perturbação dos sistemas educativos. Estiveram representados 73 países, incluindo 24 ministros da educação e 15 vice-ministros.

De acordo com dados divulgados hoje pela UNESCO, a crise afeta atualmente cerca de 363 milhões de alunos em todo o mundo, do pré-escolar ao ensino superior, incluindo 57,8 milhões de estudantes. A nível mundial, um em cada cinco estudantes deixou de poder frequentar a escola devido à crise provocada pela COVID-19 e um em cada quatro estudantes deixou de poder frequentar a instituição de ensino superior onde se encontra matriculado.

Quinze países ordenaram o encerramento de estabelecimentos de ensino em todo o seu território e outros catorze ordenaram o encerramento a nível regional ou local, da Ásia à América do Norte, passando pela Europa e pelo Médio Oriente.

Estamos a entrar em território desconhecido e trabalhamos com os Estados para encontrar soluções de alta tecnologia, de baixa tecnologia e sem tecnologia para garantir a continuidade da aprendizagem.

Diretora-Geral da UNESCO, Audrey Azoulay

 

No momento em que os países tentam antecipar a sua resposta, a cooperação internacional é essencial para partilhar as abordagens mais eficazes e apoiar estudantes, professores e famílias. A UNESCO reforça o seu apoio para que esta crise fomente a inovação e a inclusão sem agravar as desigualdades de aprendizagem.

Para liderar a resposta global, a UNESCO anunciou a criação de um " Grupo de Trabalho de Urgência UNESCO-COVID-19" que apoiará as respostas nacionais e partilhará as respostas políticas que se tenham revelado eficazes, concentrando-se nos países mais vulneráveis. Uma comunidade de prática mais ampla será estabelecida para melhorar a partilha de conhecimento, a aprendizagem entre pares e o desenvolvimento de capacidades em matéria de ensino aberto à distância. A UNESCO pretende mobilizar todos os atores interessados, incluindo o setor privado. Parceiros como a Microsoft já prestaram apoio técnico ao grupo de trabalho COVID-19.

Os representantes governamentais partilharam abordagens e melhores práticas para assegurar a continuidade da aprendizagem durante o encerramento das escolas, cuja duração é imprevisível nesta fase. Participaram na videoconferência, em particular, ministros e representantes da China, Croácia, Egipto, França, Itália, Líbano, México, Nigéria, Japão, República da Coreia e República Islâmica do Irão.

Além de acompanhar o impacto da COVID-19 na educação, a UNESCO publicou, em inglês, uma lista de aplicações e plataformas de ensino de livre acesso para uso dos pais, professores e alunos, bem como dos sistemas escolares em geral. Convida os países a usarem a inclusão e a equidade como princípios orientadores aquando do planeamento das respostas, reconhecendo que o encerramento de escolas tende a atingir mais severamente os alunos vulneráveis.

A competência da UNESCO em matéria de ensino aberto e à distância estende-se às plataformas de formação de professores, à conceção de modelos de e-learning, às comunidades de prática online e ao desenvolvimento de políticas nacionais sobre tecnologias da informação e da comunicação na educação, com um enfoque prioritário em África.

Estamos confrontados com uma situação invulgar com um grande número de países afetados pelo mesmo problema, ao mesmo tempo. Temos de unir forças não só para enfrentar as consequências imediatas desta crise sem precedentes na educação, mas também para reforçar a resiliência dos sistemas educativos a longo prazo.

Diretora-Geral Adjunta para a Educação da UNESCO, Stefania Giannini.

 

Por seu lado, Tarek Galal Shawki, Ministro da Educação do Egipto, agradeceu à UNESCO pela sua iniciativa, que lhe permitiu inspirar-se nas respostas imediatas dos Estados face a esta situação sem precedentes.

-------

** Soluções para o ensino à distância

A lista de aplicações e plataformas educativas abaixo destina-se a ajudar os pais, professores, estabelecimentos e responsáveis pedagógicos a facilitar a aprendizagem dos alunos e a proporcionar interações e serviços sociais durante o encerramento das escolas. A maioria das soluções é gratuita e muitas são multilingues. Embora não sejam explicitamente apoiadas pela UNESCO, estas soluções são geralmente de amplo alcance, têm um grande número de utilizadores e uma eficácia comprovada. Encontram-se categorizadas por tipo de necessidade pedagógica, mas a maioria dispõe de funcionalidades que se enquadram em várias categorias.

 

Sistemas de gestão de ensino digital
  • Blackboard – Recursos e ferramentas para a transição para um ensino e uma aprendizagem on-line de qualidade.
  • CenturyTech - Percursos de aprendizagem personalizados que oferecem pequenos cursos para preencher lacunas de conhecimento, estimular os alunos e promover a memorização a longo prazo.
  • ClassDojo – Estabelece a ligação entre professores e alunos e pais para transformar as salas de aula em comunidades.
  • Edmodo – Ferramentas e recursos para a gestão da aula e o envolvimento dos alunos à distância.
  • Edraak – Site educativo em língua árabe com recursos para alunos e professores.
  • EkStep – Uma plataforma de ensino aberta que oferece uma variedade de recursos pedagógicos para promover a aprendizagem da leitura, da escrita e do cálculo..
  • Google Classroom– Permite que as turmas se conectem remotamente, comuniquem e se mantenham organizadas.
  • Moodle – Plataforma de ensino aberta com gestão comunitária e mundial.
  • Nafham – Plataforma de ensino online de língua árabe que oferece cursos em vídeo correspondentes aos curricula egípcio e sírio..
  • Schoology – Ferramentas de apoio ao ensino, aprendizagem, classificação, colaboração e avaliação.
  • Seesaw – Possibilita a criação de carteiras de aprendizagem e recursos pedagógicos digitais, colaborativos e passíveis de serem partilhados.
  • Skooler– Ferramentas para converter o software Microsoft Office numa plataforma educativa.
  • Study Sapuri– Plataforma de e-learning em língua japonesa para alunos do ensino secundário.
Sistemas para telemóveis
  • Cell-Ed – Plataforma de ensino centrada no aluno e baseada em competências com opções offline.
  • Eneza Education – Ferramentas de revisão e ensino para telemóveis básicos.
  • Funzi – Serviço de aprendizagem móvel para o ensino e a formação para grupos grandes.
  • KaiOS – Software que equipa telemóveis baratos com funcionalidades semelhantes às do smartphone e permite o acesso a possibilidades de aprendizagem.
  • Ubongo – Utiliza o entretenimento, os media e a conectividade dos dispositivos móveis para fornecer serviços de ensino de baixo custo, em pequena escala e localizados às famílias africanas.
  • Ustad Mobile – Permite o acesso e a partilha de conteúdos educativos offline.
Sistemas que oferecem sólidas funcionalidades offline
  • Can’t wait to Learn – Tecnologia de jogos que proporciona às crianças uma educação de qualidade, inclusive em situações de conflito.
  • Kolibri – Aplicação de ensino que promove a educação universal.
  • Rumie – Ferramentas e conteúdos pedagógicos que oferecem uma aprendizagem ao longo da vida para comunidades carenciadas.
  • Ustad Mobile – Permite o acesso e a partilha de conteúdos educativos offline
Plataformas de aulas online abertas a todos (MOOC)
  • Alison – Aulas online ministradas por especialistas.
  • Coursera – Aulas online ministradas por docentes de universidades e empresas de renome.
  • EdX – Aulas online ministradas por instituições de ensino de renome.
  • University of the People – Universidade online que oferece um acesso livre ao ensino superior.
  • Icourses – Aulas em chinês para estudantes.
  • Future Learn – Aulas online para ajudar os alunos nos seus estudos, a adquirirem competências profissionais e a contactarem especialistas.
  • Canvas – Aprendizagem ao Longo da Vida e Desenvolvimento Profissional para Educadores.
Conteúdos de aprendizagem autodirigida
  • Byju’s – Uma Aplicação de aprendizagem que oferece extensos catálogos de conteúdos educativos adaptados a diferentes níveis de ensino.
  • Discovery Education – Recursos educativos e cursos gratuitos sobre os vírus e as epidemias para diferentes níveis de ensino.
  • Geekie – Plataforma online lusófona que oferece conteúdos educativos personalizados utilizando tecnologia de aprendizagem adaptativa.
  • Khan Academy – Aulas, lições e exercícios práticos gratuitos online.
  • KitKit School – Conjunto de sessões de aprendizagem através de tabletes que oferece um programa completo desde a primeira infância até ao início do ensino básico..
  • LabXchange – Conteúdos de aprendizagem digital selecionados ou criados pelos utilizadores, acessíveis numa plataforma online para experiências educativas e de investigação.
  • Mindspark – Sistema de tutoria adaptativo online que ajuda os alunos a praticar e a aprender a matemática.
  • Mosoteach – Aplicação em chinês que reúne aulas na nuvem.
  • OneCourse – Aplicação adaptada às crianças que promove a aprendizagem da leitura, da escrita e do cálculo..
  • Quizlet – Fichas e jogos didáticos para diversas disciplinas. 
  • Siyavula – Ensino de Matemática e da Física alinhado com o currículo sul-africano.
  • YouTube – Enorme diretório de vídeos e de canais educativos.
Aplicações de leitura móveis
  • African Storybook – Livre acesso a livros infantis ilustrados em línguas africanas.
  • Global Digital Library – Livros de histórias e outros materiais de leitura digitais facilmente acessíveis a partir de um telemóvel ou computador.
  • Lezioni sul sofà – Coleção de livros infantis em italiano, complementada por recursos de leitura em voz alta e por vídeos sobre livros e sobre arte.
  • StoryWeaver – Repertório digital de histórias infantis multilingues.
  • Worldreader – Livros e histórias digitais acessíveis a partir de dispositivos móveis e recursos para ajudar a aprender a ler.
Plataformas de colaboração com capacidade de comunicação por vídeo em direto
  • Dingtalk – Plataforma de comunicação que oferece serviços de videoconferência, gestão de tarefas e calendário, controlo de presença e mensagens instantâneas.
  • Lark – Conjunto de ferramentas de colaboração interconectadas, incluindo discussão, calendários, criação e armazenamento na nuvem.
  • Hangouts Meet – Videochamadas integradas com outras ferramentas da G suíte da Google.
  • Teams – Ferramentas de discussão, reunião, chamada e colaboração integradas com o software Microsoft Office.
  • Skype – Chamadas de vídeo e áudio com recursos de conversação, discussão e colaboração.
  • Zoom – Plataforma na nuvem que oferece recursos de vídeo e áudio conferência, colaboração, discussão e webinar.
Ferramentas para a criação de conteúdos de aprendizagem digital
  • Thinglink – Ferramentas para a criação de imagens interativas, vídeos e outros recursos multimédia.
  • Buncee – Ajuda à criação e partilha de representações visuais de conteúdos educativos, incluindo cursos, reportagens, boletins informativos e apresentações utilizando os media.
  • EdPuzzle – Software de criação de aulas em vídeo.
  • Kaltura – Ferramentas de gestão e criação de vídeos com opções de integração para diferentes sistemas de gestão da aprendizagem.
  • Nearpod– Software de criação de aulas incluindo atividades de avaliação informativas e interativas.
  • Pear Deck – Apoio à conceção de conteúdos educativos atrativos com várias funções de integração.
  • Squigl – Plataforma de criação de conteúdo que transforma o discurso ou o texto em vídeos animados.

 -------------------

national learning platforms c hbrh shutterstock

*** Plataformas e ferramentas de ensino nacionais

Seleção de plataformas educativas nacionais (Consulte neste link, no site da UNESCO, as plataformas educativas atualizadas).
Portugal
  • Apoio Escolas (https://apoioescolas.dge.mec.pt) – disponibiliza ferramentas de interação, de comunicação e de produtividade, bem como recursos educativos (de todos os anos de escolaridade e disciplinas e de acesso gratuito) e atividades que procuram constituir-se como base de apoio às escolas na transição para o ensino a distância. Este site apresenta também um conjunto de sugestões, de metodologias, que devem ser asseguradas na planificação das atividades letivas na modalidade de Ensino a Distância (EaD) e suporta a comunicação de orientações às escolas na implementação do E@D, designadamente através do Roteiro - 8 Princípios Orientadores para a Implementação do Ensino

-----------------


**** COVID-19 deixa 290 milhões de alunos sem aulas: a UNESCO publica os primeiros números mundiais e mobiliza-se para responder a este desafio 

«Embora o encerramento temporário das escolas devido à crise sanitária ou a outra crise não seja, infelizmente, uma novidade, a dimensão e a rapidez da atual perturbação da educação a nível mundial não têm precedentes e, se se prolongar, poderá ameaçar o direito à educação.»

Diretora-Geral da UNESCO, Audrey Azoulay

Paris, 5 de março - O encerramento de escolas em treze países para conter a propagação do vírus COVID-19 perturba a educação de mais de 290 milhões de alunos em todo o mundo, um número sem precedentes. A UNESCO está a fornecer apoio imediato aos países, nomeadamente através de soluções para o ensino à distância inclusivo.

"Estamos a trabalhar com os Estados para assegurar a continuidade da educação para todos, especialmente para crianças e jovens desfavorecidos que tendem a ser mais afetados pelo encerramento das escolas", declarou a Diretora-Geral da UNESCO, Audrey Azoulay. "Embora o encerramento temporário das escolas devido à crise sanitária ou outra crise não seja, infelizmente, uma novidade, a dimensão e a rapidez da atual perturbação da educação a nível mundial é sem precedentes e, se se prolongar, poderá ameaçar o direito à educação.

A UNESCO convoca uma reunião de emergência dos Ministros da Educação no dia 10 de março para partilhar respostas e estratégias para manter a continuidade do ensino e garantir a inclusão e a equidade.

A 4 de março, 22 países em três continentes tinham anunciado ou implementado o encerramento de escolas. Há duas semanas, a China foi o único país a ordenar tais encerramentos.

Desde então, treze países encerraram escolas em todo o país, afetando 290,5 milhões de crianças e jovens que normalmente frequentariam as aulas desde o jardim-de-infância até o final do ensino secundário. Outros nove países implementaram o encerramento localizado de escolas para conter o COVID-19. Se esses países também ordenassem o encerramento de escolas à escala nacional, isso impediria que mais 180 milhões de crianças e jovens frequentassem a escola.

A UNESCO apoia a implementação de programas de ensino à distância em larga escala e recomenda aplicações e plataformas educativas de livre acesso que as escolas e os professores podem utilizar para comunicar com os alunos à distância. A organização partilha as melhores práticas na utilização das tecnologias móveis de baixo custo disponíveis para o ensino, com vista a mitigar as perturbações no domínio da educação.

O encerramento de escolas, mesmo que temporário, é problemático por muitas razões. A principal é a redução do tempo de ensino, que afeta os resultados da aprendizagem. Quando as escolas fecham, os resultados educativos ficam comprometidos. A interrupção escolar também leva a outras perdas que são mais difíceis de medir, nomeadamente inconvenientes para as famílias e menor produtividade económica, na medida em que os pais se esforçam para equilibrar as obrigações profissionais e a assistência aos filhos. Os encerramentos também exacerbam as desigualdades em matéria de educação: as famílias economicamente favorecidas tendem a ter níveis de educação mais elevados e mais recursos para preencher lacunas de aprendizagem e proporcionar atividades enriquecedoras aos filhos que não podem frequentar a escola.

A UNESCO está assim a agir para enfrentar uma grande crise sanitária que agora diz respeito a todo o planeta com a propagação do vírus COVID-19. A Organização continuará a monitorizar a dimensão, abrangência e distribuição geográfica do encerramento de escolas e está pronta para apoiar os países na adoção de medidas de integração adequadas.

____________________________

Mais informações e dados por país:

https://en.unesco.org/covid19/educationresponse

Informação sobre educação em situações de emergência:

https://en.unesco.org/themes/education-emergencies

global education coalition

 Coligação Mundial para a Educação

 

  • Partilhe